Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

my green story

my green story

08
Set21

Desenhar com a Natureza

Elsa Caeiro e Elsa Santos

IMG_20210321_103551.jpg

Sendo eu arquitecta, não posso deixar de falar em Edifícios, e do seu impacto nas cidades.

De acordo com diversos estudos, os edifícios têm enorme impacto não só no consumo de energia, como na emissão de gases com efeito de estufa, no aquecimento global e nas alterações climáticas. E, apesar das alterações climáticas serem um problema global, exigem respostas locais para solucionar os problemas, pois só com atuação a nível local conseguiremos resolver os problemas globais.

Os edifícios e o desenho das nossas cidades podem fazer toda a diferença na mitigação e na adaptação às alterações climáticas. Tanto o espaço público, como os edifícios e suas envolventes devem ser pensados tendo em conta não só o relevo dos terrenos, mas dando especial relevância ao clima onde se inserem. Devem ser desenhados de acordo com a paisagem onde se inserem, e adoptar princípios bioclimáticos ao nível do projecto. Princípios esses, que não são mais que formas de aproveitar o que a natureza nos dá, para conseguir edifícios mais confortáveis, mais eficientes e mais saudáveis. A vegetação é essencial para as nossas cidades, e deve ser pensada como extensão dos Edifícios, pois esta, se for bem pensada, pode ajudar a reduzir os consumos energéticos, a tornar os edifícios mais confortáveis e também mais saudáveis. Não esqueçamos, que além de todos os outros benefícios das plantas, elas purificam o ar, e conseguem absorver metais pesados, que são extremamente nocivos para a nossa saúde.

IMG_20210321_102930.jpg

É uma abordagem bastante intuitiva, baseada nos princípios da ecologia, mas a verdade é que nos dá verdadeiramente resultados positivos. No fundo são soluções para a Arquitectura e para o Desenho Urbano baseadas na natureza, conhecidas actualmente como “Natured based solutions”, mas também como princípios de arquitectura bioclimática ou arquitectura ecológica. Que no fundo, não são mais que soluções, para os nossos edifícios e para as nossas cidades, que se baseiam nos princípios do respeito pela natureza, e do seu funcionamento, numa perspectiva de circularidade. Como na realidade acontece com os vários ciclos da natureza: ciclo da água, ciclo do carbono, a respiração das plantas…

E a verdade, é que diversos estudos nos têm-nos demonstrado que no desenho urbano, no desenho das cidades, mas também no desenho dos edifícios devemos mimetizar a natureza, isto é, copiar a natureza. Mas não se trata de copiar as suas formas, trata-se de tentar reproduzir os seus ciclos, o seu funcionamento, aproveitar o seu potencial, e encontrar soluções baseadas nos seus metabolismos.

IMG_20200325_094531.jpg

A Natureza é essencial para o nosso bem-estar físico e psicológico, mas mais do que isso, sem ela não pode haver vida no Planeta.

Chegámos a um ponto em que é crucial mudar a forma como olhamos para a Natureza… repensar as nossas prioridades e valores… e a natureza pode trazer valor económico. Mas para isso temos de alterar a nossa forma de pensar.

Há muito tempo se fala que estamos a esgotar os nossos recursos, estamos a destruir o Planeta.

Agora está na altura de mudar!

Vou dar alguns exemplos:

A presença de árvores nas cidades é essencial a diversos níveis, não só pelos benefícios para a nossa saúde mental e física, mas também porque são o mais eficaz depurador do ar. Conseguem fixar e absorver partículas poluentes, limpando o ar, e além disso, produzem oxigénio.

As árvores têm a capacidade de absorver o dióxido de carbono presente na atmosfera, responsável pela destruição da camada de ozono e pelas alterações climáticas. E transformam esse dióxido de carbono em oxigénio, o ar que nós respiramos.

IMG_20190330_181215.jpg

As árvores interferem na regulação do nosso clima. Conseguem torna-lo mais ameno, ou seja, menos frio no inverno, e menos quente e seco no verão. Quer isto dizer que não só são essenciais para tornar as nossas cidades mais confortáveis, como ajudam a reduzir os consumos de energia.

Os edifícios também podem ser pensados para aproveitar a água das chuvas. Há diversas formas de o fazer, que irei abordar num próximo post.

Além disso podemos instalar painéis solares térmicos e fotovoltaicos, para assim produzir águas quentes e energia.

Está nas nossas mãos mudar!

Trabalhemos em conjunto por melhores cidades e melhores edifícios!

O planeta é só um, e precisamos dele para viver!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub